Todos nós em algum momento da vida já pensamos: o que eu faria se pudesse prever o futuro? Antecipar acidentes, saber o número da Mega Sena da Virada e até mesmo salvar vidas são alguns dos principais desejos que passam pela mente de muitas pessoas.

Mas, e se eu te dissesse que na Mecânica existe uma forma de evitar desastres e ainda conseguir atender pelo menos cada um dos interesses por trás desses desejos? Não se trata de algo sobrenatural, mas de uma série de análises por atrás de sinais, que juntos, estruturam a Manutenção Preditiva.

 

O QUE É MANUTENÇÃO PREDITIVA?

A manutenção preditiva pode ser definida como um conjunto de técnicas que visam manter ou conservar máquinas, equipamentos, estruturas e sistemas [geralmente mecânicos], por meio da previsão de problemas que possam ocorrer futuramente.

Todos esses prováveis defeitos podem ser antevistos por meio dos sinais que um equipamento pode apresentar. Por exemplo:

I) Um aumento de temperatura, pode indicar um desbalanceamento em um equipamento rotativo;

II) Ruídos incomuns, podem significar uma folga de parafusos ou de demais elementos de máquina;

III) Resíduos de aço em óleo lubrificante, podem apontar para um desgaste mecânico indevido entre peças internas.

Todos esses são apenas alguns de muitos sinais que os mais diversos sistemas mecânicos podem apresentar, e que podem revelar, em um futuro próximo, problemas maiores, que vão da parada de equipamentos a prováveis acidentes que podem ceifar vidas.

Por conta disso, em meio ao cenário da Industria contemporânea, surge a atuação da mecânica preditiva, a qual busca identificar esses indicadores emitidos pelos equipamentos por meio de técnicas de análise, as quais variam a depender de cada situação e sistema.

A meta é clara: encontrar a causa de cada um desses sinais para tratar problemas futuros e por consequência, ampliar a eficiência e disponibilidade de maquinários, bem como o lucro que se pode obter deles.

Para tanto, conheça a seguir, 3 principais técnicas utilizadas pela manutenção preditiva para aumentar a vida útil de sistemas, evitar acidentes e lucrar com isso.

 

3 PRINCIPAIS TÉCNICAS

  1. Análise de Vibração: com o uso dessa técnica, busca-se avaliar a taxa de vibração de máquinas e descobrir possíveis falhas em componentes móveis de um equipamento.

Ela também pode indicar desbalanceamentos e desalinhamentos. Para ser feita, é necessário a instalação de        captadores de vibração em pontos específicos e que variam de acordo com cada máquina.

  1. Termografia: Essa é uma técnica que faz uma análise da temperatura de equipamentos com o uso de câmeras especiais que registram a radiação infravermelha. Ela pode indicar a presença de um calor excessivo em um sistema.

Thermographer, Temperature Meter, Thermography

 

  1. Análise de Óleo: é uma técnica que tem por objetivo, avaliar as condições dos fluídos de um maquinário. Geralmente ela é feita em laboratório e pode revelar a presença de agentes indesejáveis, que vão desde microrganismos a componentes metálicos advindos de um desgaste por atrito.

Laboratory, Analysis, Chemistry, Research, Chemist, Lab

 

Conclusão:

A partir dessas técnicas e análises, é possível, prever problemas futuros, evitar gastos excessivos, paradas de maquinário, acidentes e danos a vida. Viu? Não é tão difícil prever o futuro em alguns casos, basta ficar atentos aos sinais e analisa-los da maneira correta.